quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Serenidade para aceitar os desmandos

Quero agradeçer-te caro eleitor, tu que me prestigiaste com a tua atenção, tu que saiste de tua casa para depositar teu voto e tua esperança na nossa eleição, que com certeza continha as propostas mais direcionadas ao bem estar de todos. É meu caro eleitor amigo, e nossas propostas tambem foram as mais honestas porque sairam de um plano bem elaborado de politicas públicas para reformar as ações incompetentes e corruptas que estão a corroer os orçamentos públicos. Os "Conselhos Populares", terão que ser instituídos mais ou menos dias para que possam de fato os seres humanos que compoem a população, possam fiscalizar mais de perto o uso dos recursos, que são impostos aos mesmos, para serem usados em beneficios de todos. Aconteçe que apareçem espertos que até dizem que são sérios, gastando dinheiro público para dizer isto! Mas de sérios não existe nem a propaganda pois se vivessemos com fiscais da Lei aplicando-a na integra, no minimo o que iria aconteçer seria a devolução do dinheiro gasto para produzir uma imagem que não existe.
Temos certeza caro eleitor, que está se aproximando a hora que vamos nos unir, para fiscalizar a eleição e que vamos cobrar a lisura do pleito para possamos ter um resultado que corresponda a verdadeira vontade do eleitor.
Se na paralização de 10 minutos que não aparecia o nome do Amazonino, houve mudança do resultado, logo qualquer resultado poderá ser definido bastante é que haja vontade do operador do sistema. Precisamos fiscalizar nossos votos.

Meu telefone 3635-6999/91744494
End: Avenida Tarumã 1109, casa Nº.10 Praça 14 de Janeiro

Venha para o PCB-AM, participar da organização partidária.

Luiz Navarro

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Ousar lutar, ousar vençer

A crise do Capitalismo, sempre foi previsivel pelos estudos do Socialismo. Não é possivel continuar privatizando os lucros e socializando os prejuísos. É necessario que o povo passe a acompanhar o que está acontecendo e possa finalmente verificar a falta de vergonha e a desfaçatez dos pilantras que vão a falencia e querem ser salvos com dinheiro público. Esta situação não pode continuar, pois isto nada mais é que, roubo do produto humano para financiar a incompetência a enganação dos que sempre alardearam que o "mercado",seria o ajuste de tudo eles querem continuar a farra com o sacrificio da população. Falácia é o que sabem produzir, hoje está provado que o mundo tem que buscar uma nova forma de ajuste economico para que a vida do ser humano seja finalmente o que mais de valor de fato se destaque neste planeta. O "capitalismo" é o sistema verdadeiro de distribuição de misérias no planeta terra, está passando da hora para os que acumularam riquesas da maneira mais desonesta caiam do cavalo e se dêem conta que se não usarem a inteligencia para distribuir o rendimento do trabalho assalariado (escravo), os famélicos da terra vão tomar de forma violenta o que de direito é seu. O trabalhador é o verdadeiro produtor de bens diversos e precarizar e aniquilar o seu modo de vida é como partir a galinha dos ovos de ouro para ter mais ouro imediatamente.

Coerência

O experiente Leonel Brizola, falava que as urnas eletrônicas são fraudaveis. É verdade! Se o candidato não tiver como fiscalizar a votação e não tiver fiscalização para assistir a zeresima antes da abertura da votação e sua fiscalização não pegar o resultado da votação no final do dia será um candidato que não terá os seus votos apropriados a seu favor.
Na apuração do pleito para a prefeitura no 1º turno houve uma paralização da apuração por motivo de não aparecerem os votos do candidato Amazonino. Dez minutos depois recomeçou a apuração ja com os votos do candidato Amazonino. O nosso questionamento é: se foi possivel paralizar a apuração e modificar o seu resultado que estava apareçendo, é possivel modificar qualquer resultado assim deseje, quem estiver manipulando os computadores da apuração. É muito grave o que aconteçeu e a populaçao necessita de explicações convincentes sobre o assunto. No mais volto a dizer que se o candidato não conseguir fiscalizar o pleito é melhor não participar da eleição.