sábado, 23 de maio de 2009

ACUSADO DE SUBORNO


mulher do MOA

Evandro Seixas

Dona Mary quando saía da Secretaria Adjunta de Inteligência, onde prestou depoimento sobre os R$ 5 mil que recebera



A mulher do ex-PM Moacir Jorge Pessoa, o "Moa", disse ontem à noite, em depoimento na Secretaria de Segurança Pública, ter recebido R$ 5 mil do deputado estadual Wallace Souza para ela e o marido declararem que a acusação de que o parlamentar liderava um grupo de extermínio foi feita por meio de tortura.

Segundo o secretário de Inteligência, Thomaz Vasconcelos Dias, Mary Tereza Ramos de Albuquerque, 42, disse ter recebido o dinheiro das mãos do filho do deputado, Raphael Souza, na avenida Darcy Vargas, dias após o depoimento do "Moa". Dos R$ 5, Mary disse R$ 2,5 mil usou para pagar o advogado Cândido Honório Neto, e a outra metade para saldar dívidas. "A vantagem inicial foi de R$ 5 mil, e depois ela teria duas passagens mensais para visitar o companheiro no presídio de Catanduvas, no Paraná", contou Vasconcelos.

Além do secretário de Inteligência, acompanharam o depoimento, o promotor Ronaldo Andrade, o corregedor-geral da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), deputado Josué Neto, e o presidente em exercício da Comissão de Direitos Humanos da ALE, deputado Luiz Castro.

Sobre uma possível declaração de prisão preventiva a Wallace Souza, Tomás Vasconcelos disse que isso vai ser analisado pela força-tarefa que cuida do caso. Mais lembrou que "um dos pré-supostos para declarar prisão preventiva de qualquer pessoa é o de coação no curso do processo".

O deputado Josué Neto disse que na próxima segunda-feira, às 14h, a ALE receberá dois inquéritos do Ministério Público. Sobre a abertura de processo de cassação contra Wallace Souza, Josué considerou possível, mas somente após estudar os inquéritos poderá tomar uma decisão. "De acordo com esse depoimento que tivemos hoje, sim, mas eu tenho certeza de que, juízo de valor, mesmo, só quando nós tivermos acesso aos próximos documentos", adiantou o deputado. Segundo o parlamentar, os relatórios que a ALE receberá na segunda-feira podem conter os instrumentos necessários para emitir um parecer e encaminha a Comissão de Ética da ALE. "Evidências sim, fatos, nós não temos ainda todos os documento", conclui.

O deputado estadual Luiz Castro disse que será respeitado o direito de defesa, mas adiantou que a ALE não deixará de tomar as decisões cabíveis ao Poder Legislativo. "As evidências são contundentes. Essa é uma missão de todos os 23 deputados". Segundo Tomás Vasconcelos, além dos inquéritos, os deputados receberão na segunda-feira o video com o conteúdo do depoimento de Mary

Nenhum comentário: