sexta-feira, 22 de maio de 2009

Kombeiros se recusam a obedecer

Prefeito diz que vei mandar prender



KOMBEIROS DE NOVO


O prefeito Amazonino Mendes tem ainda três anos e oito meses para apagar da memória dos kombeiros a promessa de campanha, quando prometeu regularizar esse tipo de transporte chamado alternativo, considerado ilegal.

Era ilegal quando ele era candidato, mas precisava conquistar votos e então apelou: se eleito, legalizaria a situação. Eleito e empossado, esperou quase cinco meses para quebrar a promessa, proibindo a circulação de kombis como meio de transporte, através de um decreto que os kombeiros se recusam a obedecer.


BUMERANGUE


No passado, um outro prefeito, o agora senador Arthur Neto (PSDB), tentou limpar a cidade, retirando os camelôs. Nunca mais se livrou da “marca” de perseguidor de camelô, fartamente usada pelos adversários em períodos eleitorais, sendo que o atual prefeito foi um dos grandes propagadores da “maldade” do tucano.

O governador Eduardo Braga, que num certo período político chegou a ser aliado do agora desafeto, também não resiste a tentação de lembrar o episódio, publicamente.

Nunca mais nenhum prefeito tentou sequer mexer com os ambulantes, instalados até na principal avenida da cidade. Agora Amazonino enfrenta os kombeiros, eleitores que podem ser tornar ex-eleitores.

Nenhum comentário: