terça-feira, 2 de junho de 2009

tudo isso merece reflexão


Entregar dinheiro de mão beijada para os ricos é o quê?


OMinistério do Trabalho e Emprego divulgou (em 15 de abril) que março registrou o segundo saldo positivo de empregos no ano – 34.818 novos postos de trabalho com carteira assinada – melhorando o resultado de fevereiro, que foi de 9 mil.

Ainda é muito pouco para o quê os trabalhadores, e o Brasil, precisam. A novidade é mais uma das notícias que indicam a retomada na economia. Indústrias cancelam acordos de redução da jornada e salário feitos com seus trabalhadores.

O governo federal anunciou medidas anticrise, como o programa Minha Casa, Minha Vida, para a construção de um milhão de novas residências. Também cortou impostos federais, principalmente o IPI, para ajudar a indústria. Anunciou ainda a redução para 2,5% do PIB do superávit primário (a reserva que faz para pagar os juros da dívida pública) para poder investir mais.

Há um forte debate sobre a crise. De um lado estão os otimistas exagerados. No outro, aqueles que - na oposição ao governo - torcem para que ela se agrave.

Como os jornalões e as tevês da burguesia, que aardeiam a crise, apostando em seu aprofundamento. Acusam o governo de “gastança”, de irresponsabilidade fiscal, dizem que o debate sobre os juros anda “politizado”, e por aí afora.

Tudo isso merece reflexão. Uma diz respeito ao otimismo exagerado. A crise está em andamento, e ainda não há concordância sobre sua evolução no exterior. Por isso seus sinais precisam ser vistos com atenção e prudência. Outra se refere às acusações da direita e dos grandes financistas e seus porta-vozes contra o governo: pagar juros para os ricos sempre prejudicou o povo porque diminui o dinheiro do governo para investir em saúde, educação, moradia, aposentadorias e outros gastos de interesse dos trabalhadores. Se investir em tudo isso é gastança, entregar dinheiro de mão beijada para os ricos é o quê?

Nenhum comentário: