sábado, 28 de novembro de 2009

Mototaxistas do Amazonas excluidos?



Liberação de crédito para compra de motocicletas deve ter impacto positivo para as fabricantes instaladas do PIM

A partir da próxima segunda-feira, motoboys e taxistas poderão contar com linhas exclusivas de financiamento para compra de motos e automóveis. A Caixa Econômica Federal lançou uma linha de financiamento para compra de motocicletas com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) no valor de R$ 100 milhões. Mototaxistas não serão atendidos por essa linha. Já o Banco do Brasil lançou uma linha de crédito para taxistas, voltada para a aquisição de veículos novos. O recurso de até R$ 200 milhões virá também do FAT.

Os motoboys - que transportam mercadorias, documentos e valores - poderão comprar motocicletas novas, de fabricação nacional, de até 150 cilindradas e com preço de até R$ 8 mil. O empréstimo será limitado a 80% do valor da motocicleta, corrigidos pela Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP) mais 12% ao ano para financiamento de 36 meses; e 18% ao ano no caso de financiamento com prazo de 37 a 48 meses.

As operações serão contratadas até 30 de junho de 2010 ou enquanto houver recursos disponíveis. O profissional deve estar regulamentado para o exercício da profissão.

E os mototaxistas?

A exclusão dos mototaxistas da linha de crédito da Caixa causou insatisfação na categoria em Manaus. O presidente do Sindicato dos Mototaxistas do Amazonas (Simotam), Miguel Alves, disse que vai manter negociações junto ao Ministério do Trabalho e à superintendência da Caixa Econômica para ver o que pode ser feito. “A profissão de mototaxista foi regulamentada junto com a de motoboy, e nós queremos ter acesso a esse recurso”, disse.

No entanto, mesmo que a linha contemplasse os mototaxistas, os profissionais de Manaus não poderiam acessar os recursos uma vez que ainda não há uma regulamentação municipal, como exige a lei 12.009, que regulamentou a profissão em nível nacional em julho.

Miguel Alves disse que, agora que o prefeito Amazonino Mendes está salvo da cassação, a categoria vai retomar a pressão.

Já os taxistas não têm do que reclamar. Por meio da linha lançada ontem pelo Banco do Brasil, o taxista poderá financiar até 90% do valor do carro e o seguro inicial, observado o teto de R$ 60 mil. Os automóveis devem ser fabricados no Brasil e equipados com motor de cilindrada até dois mil centímetros cúbicos (2.0).

Postado:Prof.Sérgio

Nenhum comentário: