domingo, 27 de dezembro de 2009

Injustiças tributária, uma realidade no Amazonas?



A população do interior do Estado tem sofrido na mão dessa OLIGARQUIA que está a mais de cinco décadas no Amazonas?


A tabela abaixo nos mostra o quanto é inexplicável o modelo de distribuição de recursos no Amazonas, independentemente do ângulo que você queira buscar de interpretação sobre esses números (valor médio por habitante/mês).

Repare que o município que possui a maior média de repasse por habitante é Presidente Figueiredo, com R$ 146,36 hab/mês (aí explicado pela presença das mineradoras). Manaus aparece em 4º, com R$ 35, 17 hab/mês e Coari, a “terra do gás”, aparece apenas em 6º, com R$ 34, 57 hab/mês.

As cidades de Parintins, Tabatinga e São Paulo de Olivença são as três últimas colocadas, com a média de R$ 11,00 hab/mês, bem abaixo da média estadual.

Essa distribuição, com certeza, deve ser melhor explicada ou, no mínimo, ser modificada futuramente, através de estudos técnicos. Dizem que o trabalho realizado pela Fundação Getúlio Vargas, seis anos atrás, foi um verdadeiro desastre.







Postado:Prof.Sérgio

Nenhum comentário: