domingo, 6 de dezembro de 2009

O MINISTERIO PÚBLICO QUANDO QUER, É CEGO!

O atual presidente da Câmara Municipal de Manaus, Vereador Luís Alberto Carijó, tem contra si, 27 processos instaurados, por "IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA", parados e sem solução. Até para que seja restaurada a sua dignidade e respeitabilidade, caso não tenha culpa, necessário se faz o julgamento desses processos. Fica a pergunta porque o Ministério Público é tão ágil em certos processos e outros ficam dormindo, em gavetas que só se abrem quando algo misterioso e talvez até sobre natural, joga os processos em pauta para serem julgados. O que movimenta esses processos é tudo, menos o interesse do povo e da legalidade. A Senadora Katia Abreu, que é Presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária foi flagrada em "maracutaia", comum entre a "elite", que é a grilagem de terras tomadas de posseiros com anos de posse da terra. Estas ações são perpetradas com a ajuda de corruptos de plantão da própria justiça. Em Manaus, cito entre os milhares de casos, o da comunidade indígena do Tarumã, que na "revolução de 64", foram expulsos de terras que nela nasceram. Mudaram para outro lugar e pouco mais de 30 anos, no governo Eduardo Braga, foram novamente expulsos de suas terras. Não houve qualquer ação do Ministério Público. O povo quer saber o que faz o Ministério Público agir?
postado e escrito por: Luiz Navarro

Nenhum comentário: