terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Renúcia ou Impeachment,Arruda tem que deixar o GDF



Acabou o governo Arruda. O projeto de oito anos que alimentava para seu governo ruiu na esteira das denuncias que envergonham Brasília e o Brasil desde a última sexta-feira (27). São lamentáveis e estarrecedoras as imagens do governador José Roberto Arruda recebendo propina Os vídeos, os diálogos, as cenas, revelam um vasto esquema de corrupção montado a partir do Buritinga, coordenado pessoalmente pelo governador em parceria com secretários de estado e deputados.


Brasília sofre com mais esse escândalo. Padece no país pela imagem de centro da corrupção nacional, que deixa a todos nós envergonhados e indignados. Mas, nossa tristeza e revolta, precisa ter conseqüência, precisa virar ação para tirar essa gente do poder. Todas estas denúncias tem que ser investigadas profundamente, com o indiciamento de todos os envolvidos, o retorno aos cofres públicos o dinheiro desviado e punição rigorosa e exemplar de todos que estão no esquema. Não há meio termo, não deve haver vacilação ou condescendência.

É necessário agir. Arruda perdeu as condições morais, políticas e administrativas de dirigir os destinos de Brasília. A cena do governador estendendo a mão, parlamentares abrindo bolsas, blusas, meias para receber o dinheiro sujo da corrupção, do achaque sobre empresários, é degradante.

Arruda deve renunciar ou então responder ao processo de impeachment que deve ser encaminhado pela Câmara Legislativa do DF. Esta por sua vez precisa suspender todos os envolvidos no mensalão do DEMo. A pergunta de quem vai substituir Arruda também está posta. Paulo Otávio e Leonardo Pudente também estão na lista de beneficiados pela corrupção.

A verdade é que Brasília está acéfala. Até que ponto a Câmara Legislativa do DF está em condições de indicar um governante para concluir esse período de um ano que nos separa das eleições e da posse do novo governo? Essas perguntas precisam de respostas num tempo relativamente curto.

Éstá aberta a sucessão no DF que implica na necessidade de um mandato tampão que nos conduza até as eleições de outubro de 2010 e processo eleitoral. O esquema de Arruda está ferido de morte. Sua base eleitoral e política ficou órfã. Sem Arruda, a sucessão de 2010 sofre mudança drástica. Isso coloca novos desafios aos partidos e forças que se articulam em torno do presidente Lula e tem compromissos profundos com o futuro de Brasília.

Outro aspecto importante é que no meio de todo esse escândalo a população não pode ser triplamente punida. Primeiro pela corrupção, segundo pelos danos morais que todos pagamos por viver na capital do país e em terceiro lugar pela paralisia de serviços, obras e ações do GDF.

Paralelo as investigações e apurações das denuncias, a vida deve continuar. Não podemos permitir a paralisia dos serviços públicos e o comprometimento do calendário das ações na saúde, educação e outras áreas fundamentais ao bem estar do povo.

É necessário escrever uma nova página na vida política do DF. Brasília não merece o governo que tem. A população também não merece parlamentares que recebem propinas do executivo. É necessário um novo governo no DF e uma grande renovação na Câmara Legislativa. Mas isso
só será possível com a ampliação da consciência política de nossos eleitores, do aumento da visão crítica e do rigor na hora de escolher nossos representantes.

Não podemos permitir que as festas de fim de ano, a dispersão política desse período, a realização do carnaval, eventos do nosso dia a dia, dispersem ou tirem o foco de nossas ações, da necessidade de apurar, punir e moralizar a vida política do DF.
Apolinário Rebelo

Postado:Prof.Sérgio

Nenhum comentário: