quarta-feira, 8 de junho de 2011

25.000 PESSOAS MARCHAM EM TEL AVIV EM APOIO AO ESTADO PALESTINO BASEADO NAS FRONTEIRAS DE 1967

(PC de Israel)

Segunda-Feira, 06 de Junho de 2011 14:13

http://www.maki.org.il/ , mailto: interelations@maki.org.il This e-mail address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it

Aproximadamente 25.000 pessoas participaram da marcha no centro de Tel Aviv, na noite de sábado, em apoio ao estabelecimento do estado Palestino baseado nas fronteiras de 1967.

A marcha acabou com um comício no Museu de Tel Aviv. Dov Khenin (Hadash), Daniel Ben-Simon (Labor), Nino Abesadze (Kadima), Zahava Galon (Meretz), o prefeito de Nazaré Ramez Jeraisy, o editor em chefe do jornal diário comunista Al Ittihad e a conhecida ativista feminista Aida Touma-Sliman e o dramaturgo Yehoshua Sobol se pronunciaram.

Um grande número de partidos políticos e grupos de paz – incluindo o Hadash (Frente Democrática pela Paz e Igualdade – Partido Comunista de Israel), Labor, Meretz, a facção Derech do Kadima, Paz Agora, Combatentes pela Paz, Solidariedade Sheikh Jarrah e o Gush Shalom – participaram da marcha. Dentre os manifestantes, diversos membros do Parlamento: Khenin (Hadash), Galon (Meretz), Muhammad Barake (Hadash), Afu Agbaria (Hadash), Hanna Sweid (Hadash), Ilan Gilon (Meretz), Nitzan Horowitz (Meretz), ex-MKs Issam Makhoul (Hadash), Tamar Gozansky (Hadash), Haim Oron (Meretz) e o Secretário Geral do Partido Comunista de Israel, Muhammad Nafa'h.

Os manifestantes levaram cartazes que diziam: “Estado Palestino – um interesse Israelense”, “Bibi, reconheça os Palestinos”. Alguns manifestantes carregavam bandeiras Palestinas, Israelenses e vermelhas com “Sim para a Paz" e “Judeus e Árabes se recusam ser inimigos”.

Várias dezenas de ativistas de direita, envoltos em bandeiras Israelenses, fizeram uma manifestação contrária que começou no local inicial da marcha, na Praça Rabin. Durante a marcha, dois manifestantes de esquerda foram presos devido à arbitrariedade policial.

Uma veterana do Partido Comunista, Prof. Yenina Altman, 80 anos, veio para participar da marcha em todo o caminho de Haifa. "É importante, para mim, expressar o desejo de ver os Palestinos independentes", disse. “Eu vim da Polônia depois que toda a minha família pereceu. Eu estava em um gueto em um campo de concentração. Gostaria de ver meu país mostrando tolerância e respeito pelos Palestinos e dando a eles o direito de um estado independente e justo assim como nós desejamos”.

Um membro do Comitê Central do Partido Comunista de Israel, Rawda Marcus, da cidade da Kafr Yasif, da Galiléia, disse: “Nós esperamos que tais ações de protesto cresçam ainda mais fortes e causem uma mudança que fará ver um estado Palestino independente e que respeite as fronteiras de 1967, com Jerusalém Oriental como capital”.

Diversas ruas na área da manifestação em Tel Aviv foram fechadas para o tráfego, causando uma paralisação na circulação do centro da cidade por horas.

Veja a Página do PCB – www.pcb.org.br

Partido Comunista Brasileiro – Fundado em 25 de Março de 1922

Postagem e comentário de: Luiz Navarro
 
                                         É fundamental perceber que existem Judeus e Judeus! A maioria do povo Israelense é formado de cidadãos "bom carater", honestos e com profunda sensibilidade humanística, que nada tem a ver com o Governo Israelense, constituído da casta milionária, gananciosa e inescrupulosa, assassinos confessos, incapazes de gestos humanitários  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário: