quinta-feira, 12 de abril de 2012

CRITICAR ISRAEL NÃO É O MESMO QUE CRITICAR JUDEUS

Sobrevivente do Holocausto afirma que Israel age como os nazistas
10 ABRIL 2012
CLASSIFICADO EM
 INTERNACIONAL - SOLIDARIEDADE A PALESTINA
Crédito: Diario Liberdade
Opera Mundi - [Beatriz Bulla] “Há uma tentativa de desumanizar os palestinos, como foi feito com os judeus”, diz Hajo Meyer
Um dos poucos sobreviventes do campo de concentração nazista de Auschwitz, Hajo Meyer, afirmou durante uma turnê de palestras na Escócia, que é possível traçar paralelos entre o tratamento recebido pelos judeus na 2ª Guerra Mundial e a situação atual dos palestinos nas mãos dos israelenses.
“Os israelenses desumanizam os palestinos, tal como os nazistas tentaram me desumanizar. Ninguém deveria desumanizar o outro”, disse Meyer, que passou dez meses em Auschwitz em 1944. “Talvez Israel não seja o país mais cruel do mundo, mas uma coisa é certa: Israel é o campeão mundial em pretender ser o país de maior cultura e civilização”, afirmou.
O alemão nasceu em Bielefeld, em 1924. Depois de ser proibido de ir à escola, em 1938, foi para a Holanda, sozinho. Meyer passou um ano escondido, quando foi pego pela Gestapo e enviado ao campo de concentração de Auschwitz, onde permaneceu por dez meses. Hoje, vive na Holanda e é autor de três livros sobre judaísmo, Holocausto e sionismo.
Meyer defende que o significado do termo “antissemita” mudou. “Antes, antissemita era alguém que odiava os judeus, por eles serem judeus. Hoje, antissemita é alguém que é odiado pelos judeus.” Como porta-voz da Rede Internacional de Judeus Anti-Sionistas,  afirmou que é preciso saber que criticar Israel não é o mesmo que criticar os judeus.
O ativista escocês pela causa palestina, Mick Napier, afirmou que Hajo Meyer entende “o abuso que Israel faz da trágica história do Holocausto para defender seus próprios crimes”.
*Com informações do portal Palestina Libre

Postagem de Luiz Navarro

Nenhum comentário: