sábado, 22 de dezembro de 2012


A oposição venezuelana perde estados estratégicos

ImprimirPDF
imagemODiario.info
Vitória bolivariana em 20 dos 23 governos regionais
RNV / TeleSur
Nas eleições deste domingo a oposição venezuelana perdeu vários estados considerados estratégicos pela localização geográfica e pelo potencial económico que detêm no do país. Este facto constitui um retrocesso importante para a direita, que em Outubro passado perdera também as eleições presidenciais.
A oposição venezuelana perde estados estratégicos
Nas eleições regionais deste domingo a oposição venezuelana perdeu 4 estados considerados estratégicos pela localização geográfica e pelo potencial económico que detêm na nação sul-americana: Carabobo, Táchira, Nueva Esparta e Zulia.
O estado Zulia (nordeste) definiu-se a favor do Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV) com 50.99 por cento para o seu representante, Francisco Arias Cárdenas. Enquanto Pablo Pérez, representante do partido opositor Mesa de la Unidad Democrática (MUD) obteve 46. 74 por cento.
No estado Nueva Esparta (nordeste), o candidato socialista Carlos Mata Figueroa alcançou 52.44 por cento dos votos; enquanto o opositor Morel Rodríguez apenas obteve 44.34 por cento.
Com 53.49 por cento o candidato do PSUV Francisco Ameliach obteve o governo do estado Carabobo (norte); enquanto Enrique Salas Feo, candidato opositor, alcançou 42.7 por cento.
Em Táchira (sudoeste) o candidato do PSUV José Vielma Mora ganhou com 51.7 por cento. Por sua parte o opositor Cesar Pérez Vivas contou com 44.48 por cento dos votos.
O Estado Monagas também pôde ser recuperado pela bandeira vermelha cuja representante Yelitze Santaella, alcançou 52.59 por cento. José Gregorio Briceño, que aspirava à reeleição pela MUD conseguiu 40. 67 por cento.
Briceño governou em dois mandatos com o apoio do partido socialista. Não obstante, em princípios de 2012 foi expulso dessa organização política por condutas irregulares. Posteriormente José Gregorio Briceño identificou-se como partidário da oposição.
A presidente do Conselho Nacional Eleitoral, Tibisay Lucena, felicitou o povo venezuelano pela conduta manifestada nestas eleições.
“”Observamos e felicitamos o povo de Venezuela, que votou tranquilamente, com esse espírito de civismo que nos caracteriza”, apontou Lucena, que destacou a participação de 53.4 por cento dos eleitores.
Os centros de votação na Venezuela fecharam as portas às 18.00 horas de Caracas (22.30 GMT), com excepción daqueles centros em que ainda havia pessoas esperando a sua vez de votar.
Para estas eleições regionais existia um universo eleitoral de 17 milhões 421 mil 946 cidadãos, para escolher 260 cargos, entre governadores e legisladores regionais.
Fontes:
Nas eleições regionais do passado domingo o Partido Socialista Unido de Venezuela (PSUV) alcançou a maioria dos governos, vencendo em 20 dos 23 estados. A Revolução recuperou Carabobo, Nueva Esparta, Táchira e Zulia. A participação foi de 53,4 por cento.
São os seguintes os dados divulgados pelo CNE:
Amazonas: Liborio Guarulla 56,01%. Nicia Maldonado (PSUV) 37,37%.
Anzoátegui: Aristóbulo Istúriz (PSUV) 53,97%, Antonio Barreto Sira 41,6%.
Apure: Ramón Carrizález (PSUV) 59,83%, Luis Lippa 22,42%.
Aragua: Tareck El Aissami (PSUV) 52,72, Richard Mardo, 42,71%.
Barinas: Adán Chávez (PSUV) 54,69%, Julio César Reyes 41,52%.
Bolívar: Francisco Rangel (PSUV) 43,57%, Andrés Velázquez 42,34%.
Carabobo: Francisco Ameliach (PSUV) 53,49%, Henrique Salas Feo 42,7%.
Cojedes: Érika Farías (PSUV) 59,27%, Alberto Galíndez 35,31%.
Delta Amacuro: Lizeta Hernández (PSUV) 71,27%, Arévalo Salazar 20,99%.
Falcón: Stella Lugo (PSUV) 48,28%, Gregorio Graterol 35,28%.
Guárico: Ramón Rodríguez Chacín (PSUV) 70,41%, José Manuel González 25,5%.
Lara: Henri Falcón 54,35%, Luis Reyes Reyes (PSUV) 41,98%
Mérida: Alexis Ramírez (PSUV) 47,56%, Lester Rodríguez 37,96%.
Miranda: Henrique Capriles Radonski 50,35%, Elías Jaua (PSUV) 46,13%.
Monagas: Yelitze Santaella (PSUV) 52,59%, José Gregorio Briceño 40,67%.
Nueva Esparta: Carlos Mata Figueroa (PSUV) 52,44%, Morel Rodríguez 44,34%.
Portuguesa: Wilmar Castro (PSUV) 50,96%, Oswaldo Zerpa 22,59%.
Sucre: Luis Acuña (PSUV) 55,77%, Hernán Núñez 35,26%.
Táchira: José Gregorio Vielma Mora (PSUV) 53,48%, César Pérez Vivas 44,48%.
Trujillo: Henry Rangel Silva (PSUV) 79,4%, José Hernández 17,31%.
Vargas: Jorge García Carneiro (PSUV) 69,05%, José Manuel Olivares 24,13%.
Yaracuy: Julio León (PSUV) 57,8%, Biagio Pilieri 36,5%.
Zulia: Francisco Arias Cárdenas (PSUV) 50,99%, Pablo Pérez 46,74%.
Mais detalhes clicando aqui:
Extraído de: www.odiario.info

Nenhum comentário: